Av. Brasil, 275, Jardim Paulista, São Paulo, SP | 11 3052-1448

Av. Brasil, 275, Jardim Paulista, São Paulo, SP | 11 3052-1448

    As toxinas presentes no protetor solar tradicional

    As toxinas presentes no protetor solar tradicional

    Saiba quais são as principais toxinas que podemos encontrar em um protetor solar tradicional:

    1. Oxibenzona (benzophenone-3): polui os oceanos, pode ser absorvida pela pele e está relacionada a distúrbios hormonais. Seu uso é proibido na Suíça.

    2. Homosalato (homosalate): pode ser absorvida pela pele e desequilibrar hormônios como estrogênio e progesterona.

    3. Ensulizole (phenylbenzimidazole sulfonic acid): de acordo com o EWG, está relacionada ao câncer apesar de ser um ingrediente de médio risco.

    4. 4-metilbenzilideno-cânfora (4-methylbenzylidene camphor): de acordo com o EWG, também relacionado a distúrbios endócrinos.

    5. Octinoxato (ethylhexyl methoxycinnamate): alergias e distúrbios hormonais, de acordo com o EWG.

    6. PABA (ácido paraminobenzóico) é um filtro sintético que absorve as radições UVB, e é altamente alergênico. Além de manchar as roupas e a pele, este àcido tem a capacidade de destruir o DNA, e aumentar os riscos de câncer de pele.

    Para fazer a análise das formulações você pode utilizar o banco de dados do Environmental Working Group’s (EWG). O EWG é uma organização que desde 1992 e se dedica a, entre outras atividades, pesquisar substâncias químicas nocivas para a saúde e para o meio ambiente.

    A EWG possui um aplicativo, é só baixá-lo.  A única desvantagem é que ele não possui muita análise de cosméticos de empresas brasileiras.

    Abaixo, deixo alguns exemplos de protetores solares com menor quantidade de toxinas e os que eu indico, vale a pena Conferir!!!